Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2011

FÉ E OBRA DE MÃOS DADAS PARA A VIDA ETERNA.

Imagem
(Tiago 2.14-26) INTRODUÇÃO Há quem veja, nas Escrituras, um provável conflito entre os escritos de Paulo e os de Tiago, com relação à justificação - se somente pela fé ou também pelas obras. Como veremos no estudo desta lição, a Bíblia não tem discrepâncias. As possíveis divergên­cias são aparentes, e se desfazem sob o estudo cuidadoso dos textos.
I. CONCEITOS DE FÉ E OBRAS
1. A fé. A palavra fé ocorre 244 vezes no Novo Testamento. Pode servista com diversos significados: fé comum aos que crêem (Mc 16.17, 18); fé como fruto do Espírito (Gl 5.22); fé como dom, outorgada pelo Espírito Santo (l Co 12.9a); fé como meio para a salvação (ou fé salvífica), conforme Rm 5.1, que é o sentido pelo qual o termo é estuda­do na epístola de Tiago.
2. As obras. No sentido comum, obras são realizações, execuções, ações, procedimentos, atuações, hu­manas. No sentido bíblico, temos acepções como "as obras de Deus", que indicam aquilo que foi e conti­nua sendo feito por Deus (ler Jo l .3; 5.17; Cl.…

APRENDENDO A ORAR

Imagem
INTRODUÇÃO (Tiago 1.5-8; 5.14-15)
Orar é falar com Deus, louvando, agradecendo, pedindo, suplicando, intercedendo, com a alma voltada para o Onipotente. A oração, assim, é um meio maravilhoso de chegarmos à presen­ça do Senhor, de adentrarmos ao tro­no da graça, "com confiança, a fim de sermos atendidos em tempo opor­tuno". A perseverança na oração é indispensável para demonstrarmos nossa confiança e dependência de Deus. I. DOIS TIPOS DE ORAÇÃO 1.Oração convencional. É a oração feita pelo crente, na qual ele expressa seus sentimentos diante de Deus, sem um propósito de obter algo que dependa do exercício ime­diato da fé, como, por exemplo, a cura de um enfermo, a operação de maravilhas, sinais e prodígios, a ex­pulsão de demônios, etc. É a oração que fazemos ao deitar, ao levantar, agradecendo pelo pão de cada dia, pela família, pela igreja, pelo empre­go, etc. Se não tivermos cuidado, essa oração pode tomar-se rotineira, repetitiva, sem graça. 2.Oração da fé. É a oração pela qu…

.::INSTALAÇÃO ELÉTRICA::.

Imagem
Instalações Elétrica: Residencial. Comercial.Predial.Instalações de Eletrocalhas.Requerimentos de medidores.






As eletrocalhas aéreas, ou bandejas, dão suporte à passagem de fios e cabos elétricos, de telefonia, telecomunicações ou informática. São dutos metálicos rígidos, fabricados em chapas de aço de seção retangular, lisos ou perfurados, com ou sem tampa. Alguns modelos apresentam borda de segurança que evita danos aos cabos durante o deslizamento no momento da instalação. Utilizadas em prédios de escritórios, comerciais, industriais e residenciais, as eletrocalhas podem ser instaladas de forma aparente, penduradas no teto por meio de suportes de aço, barras rosqueadas, ou ainda ficarem embutidas no forro. As eletrocalhas são desenvolvidas para encaminhamento de cabos no sentido horizontal, mas também servem para uso em prumadas verticais, desde que tenham tampas com travamento NA HORA FAZER A SUA INSTALAÇÃO  ELÉTRICA, NÃO ESQUEÇA, NÓS TEMOS; QUALIDADE, PROFICIONALIDADE, PREÇO E UM FIN…

.::VENCENDO PROVAS E TENTAÇÕES::.

Imagem
I. TENTAÇÃO(Tiago 1.2-16)
          1.Conceito. Tentação é "ato ou  efeito de tentar; disposição de âni­mo para a prática de coisas diferen­tes ou censuráveis" (Dicionário Au­rélio). Biblicamente, podemos dizer que é o convite ao pecado.
2.O significado na epístola. Em Tiago, tentações têrn o significado de perseguições, lutas e provações pe­las quais o crente pode passar.     II ORIGEM DA TENTAÇÃO
A tentação tem três origens ou fontes:
1Da parte da carne.
a)Tentação humana. A Bíblia nos diz que "não veio sobre vós ten­tação, senão humana" (l Co 10.13).Neste texto, podemos entender que "tentação humana" quer dizer a que é própria da natureza carnal do ho­mem (ver Rm 7.5-8; Gl 5.13,19). Ela tem seu aspecto mal, pernicioso, incitador ao pecado. b)O significado da carne. A car­ne, é o "centro dos desejos pecami­nosos" (Rm 13.14; Gl 5.16,24). Dela vem o pecado e suas paixões (Rm7.5; Gl 5.17-21). Na carne não habi­ta coisa boa (Rm 7.18). Devemos salientar …