.::SOLIDÃO::.



O CASO ANA
Cura pela palavra de Deus para a solidão
Texto Base: l Samuel 1.1-18
A Solidão é algo que assusta profundamente o ser humano. A solidão dói. Os homens se envolvem cada vez mais em atividades com o simples objetivo de não se sentirem sozinhos. O medo de estar só pode empurrar alguém na direção de relacionamentos insatisfatórios, nos quais os indivíduos se toleram e se aturam apenas para não ficarem sozinhos. Na verdade a solidão não é a ausência física de uma companhia humana, mas a constatação da ausência de relações significativas com outras pessoas. "Não é bom que o homem esteja só", disse Deus no Jardim do Éden, reconhecendo a natureza sócia! do ser que criara e a necessidade que ele tem de relacionar-se com seus semelhantes. ( Génesis 2.18). Por isso é comum aqueles que estão solitários sentirem-se insatisfeitos, tristes, inseguros, ansiosos e deprimidos,
A FACE DA SOLIDÃO
Alguém pode sentir-se solitário quando isolado, mas também quando cercado por uma multidão. Existe muita solidão nos orfanatos, asilos, hospitais, penitenciárias, entre os imigrantes, soldados, solteiras e os que enviuvaram. Mas há também solidão nas grandes cidades, nos condomínios luxuosos, entre artistas e governantes.
O Caso de Ana é um exemplo interessante de como a solidão pode ser causada pelo excesso de pessoas, e não pela falta delas. Ana não vivia sozinha, e ao mesmo tempo, era solitária. Sua solidão era causada pelo acúmulo de gente ao seu redor. A prática da poligamia, era comum em ísrael e outros países do antigo oriente, tornava a vida familiar complicada. Elcana tinha duas esposas. PENINA, apresentada pelo autor bíblico como a rival de Ana, enchera a casa de filhos. Ana, ao contrário, era estéril e constantemente humilhada por causa disso. Seu marido, porém, parecia não perceber que ta! situação tornava a existência da mulher insuportável. (Veja o verso 8) "Ana, por que choras? E por que não comes? E por que estás de coração triste? Não te sou eu melhor do que dez filhos? Elcana era um homem bom, mas completamente insensível, e até mesmo um pouco convencido! Ele não conseguia compreender a esposa. Ela vivia num ambiente hostil, rodeada de indivíduos com os quais não tinha nenhuma relação profunda ou amistosa. Não se sentia compreendida e aceita. Não tinha com quem conversar nem se abrir.
OS EFEITOS DA SOLIDÃO
Para Ana, mais cedo ou mais tarde os efeitos daquela existência solitária haveriam de manifestar-se. Ela chorava. Não queria comer, seu coração estava partido e seu semblante triste. Achava-se profundamente deprimida, insatisfeita corn a vida que levava e sem enxergar perspectivas de mudança. Existe algo muito importante que precisamos mencionar: as atividades religiosas não eram capazes de aliviar o vazio da alma daquela mulher. Ela ia anualmente ao santuário, à casa do Senhor, para adorar e sacrificar. E a cada ano, regressava com um estado de espírito pior do que fora anteriormente, (verso 7). Fazer-se religioso não deixa ninguém menos-só. A religião não pode resolver o problema da solidão. A realidade da solidão torna a vida um fardo muito pesado.
COMO VENCER A SOLIDÃO
Apesar de a situção de Ana ser muito difícil, o texto termina mostrando-a como uma mulher feliz que superou a soidão. Não podemos esperar que as circunstâcias mudem para que a nossa vida melhore. Por isso, às vezes, paramos no tempo, ou cobramos de Deus uma ação. Mas, Primeiro. Algo precisa ser modifica dentro de nós. Ai a situação mudará ou nós faremos com que mude.  
Ana sempre ia ao templo, isso era um hábito. Dessa vez porém, algo importante aconteceu ali. Nós também podemos ir à casa de Deus por costume e sair de lá exatamente como entramos. Mas se quisermos, faremos do culto um momento de riqueza espiritual e de crescimento interior.
Ana foi orar depois de cumprir seus deveres religiosos. (Vs, 9). Estava disposta a buscar algo mais do que meras obrigações, queria um relacionamento íntimo com Deus. Nenhuma solidão resiste a um companheirismo sincero e desinteressado com o Senhor, Ana 'com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou"(verso 10). E ele a escutou, assim como nos ouve hoje também. Como fez Ana, você também pode abrir-se com ele. O fato é que Ana descobriu ali, na casa do Senhor, uma forma não possessiva de relacionar-se. (Vs. 11), Ao abrir mão da companhia do filho, prometendo-o a Deus, estava abdicando-se de direitos maternais e de cuidados futuros. Para sairmos da solidão precisamos de abrir mão dos outros.
A solidão acaba no preciso momento em que duas pessoas reconhecem a necessidade de estabelecer contato, para dar-se e receber, para viver e deixar viver de uma maneira desinteressada, profunda e sincera.
Ana obteve uma importante vitória sobre a solidão. "Assim a mulher se foi seu caminho e comeu, e o seu semblante já não era triste"(Vs. 18). Leia l Samuel 2.21. A vida de Ana mudou quando aprendeu a estabelecer relações significativas com Deus e com os outros.
Se seu semblante está triste e você quer seguir o seu caminho de uma forma diferente, lembre-se de Ana. Como se deu com ela, você pode superar as circunstâncias, a timidez e o medo, Como aconteceu com Ana, você pode obter vitórias sobre a sua solidão.
LEIA A BIBLIA
Jonas 2:1-10; Êxodo 19:1-25; I Reis 19:8-21; Salmo 128
Efésios 4:16



0 Response to ".::SOLIDÃO::."

Postar um comentário

Jesus esta voltando Blogger criar site | procurando fazer o bem JRicardo